Maricá ganha primeiro Centro de Recondicionamento de Computadores do estado

A primeira unidade do Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC) de todo o Estado do Rio foi inaugurada nesta quarta-feira (12/08), em Inoã. Os componentes de computadores descartados pelos órgãos públicos do estado podem ser reaproveitados para a construção de novas máquinas que serão doadas. A unidade funciona de segunda a sexta, das 08h30 às 17h30.

Como contrapartida pelo direito de reciclar os computadores, o CRC deve formar profissionais de montagem e manutenção de computadores, de edição de vídeo e de impressão 3D, além de oferecer cursos de informática básica para jovens e adultos. Entretanto, devido à pandemia de Covid-19, os cursos não serão ofertados neste momento. “Aqui nós vamos tratar lixo eletrônico e capacitar os jovens”, enfatizou o presidente do Instituto Nova Ágora de Cidadania (Inac) e responsável pelo espaço, Júlio César Hessei.

A unidade também conta com um laboratório móvel educacional de lixo eletrônico que, em parceria com a Secretaria de Educação, levará informações sobre tecnologia e sustentabilidade para as escolas do município, quando as aulas retornarem.

Em Maricá, os moradores e empresas podem auxiliar no descarte correto desses materiais nos pontos de coleta que serão estruturados em breve pela Secretaria de Cidade Sustentável. Enquanto isso, a pessoa que quiser fazer o descarte correto pode ir até o local deixar o material, ou solicitar a visita de uma equipe do próprio CRC, para descarte de grandes quantidades.

“Entre 92 municípios do estado, Maricá foi escolhida para ter um CRC. Os benefícios são não só para a cidade, mas também para a região. Tudo isso resultará em uma diminuição incrível no impacto ambiental, justamente no momento em que Maricá vive uma revolução na questão do tratamento de resíduos, com a aprovação da nova Lei de Resíduos na Câmara Municipal“, explicou o secretário de Cidade Sustentável, Guilherme di César Mota.

“Nós agora temos hoje em Maricá a capacidade de reciclar todo o lixo eletrônico e, junto com a Cidade Sustentável, reciclaremos os outros tipos de lixo. A partir deste processo, você pode gerar energia, combustível, pode gerar adubo orgânico e muitas coisas. Maricá deu um salto de qualidade muito grande”, disse o secretário de Ciência, Tecnologia e Comunicações, Sérgio Mesquita.

Pelo Brasil já existem treze unidades dos CRCs, nas quais já foram formados mais de 1.500 profissionais apenas em 2019, e foram doados mais de 20 mil computadores.

Comentário