No Dia Internacional do Brincar, origami é diversão para a família

No cenário em que as pessoas estão vivendo por conta da pandemia da Covid-19, a maioria em isolamento social, a interação entre os pais e responsáveis com as crianças tem sido mais frequente, o que pode influenciar positivamente no desenvolvimento dos pequenos. E nada melhor do que aproveitar nesta quinta-feira (28/05) o Dia Internacional do Brincar, criado em 1999 para celebrar o 31º artigo da Convenção sobre os Direitos das Crianças e das Nações Unidas.

Uma atividade que tem tudo para unir toda a família é fazer origamis.  Não exige maior investimento, gera interesse, desenvolve a criatividade e a fantasia. Quem garante é o ator Matheus Santana, 25 anos, morador do bairro São José do Imbassaí, que desde pequeno sempre gostou de trabalhos manuais.

“Eu acho que agora na quarentena, fazer origami em casa, é uma tarefa prazerosa que pode unir toda família. Eu faço sapinhos de papel que conforme vamos apertando a parte de trás, eles dão pequenos pulos, o que vira uma diversão entre as famílias e utiliza apenas uma folha de papel”, conta.

Segundo a psicóloga Célia Possati é através da brincadeira que a criança aprende.  “Através do brincar, a criança aprende e experimenta o mundo. Possibilidades e relações sociais e elabora sua autoestima, autoconfiança e organiza suas emoções. Durante a brincadeira, a criança trás vários pontos que devemos prestar atenção. Ela apresenta suas alegrias, suas dúvidas, suas frustrações”, explica a psicóloga. “Esse período que estamos atravessando, é o momento que a família encontra-se mais próxima. Através da brincadeira que os pais verão a agressividade, o saber dividir, a timidez. Elas terão oportunidade de ver a família com o olhar da criança”, completou.

Comentário